Superdotação - Potencial humano em favor de todos

Artigos

O que é superdotação / altas habilidades

O fenômeno da superdotação é bastante heterogênio, ou seja, não existe um conjunto de característica que sempre são encontrados em todos os superdotados. Deste modo, inexiste uma definição de superdotação que seja amplamente aceita no meio científico e acadêmico.

Mesmo assim, a superdotação vem sendo cada vez mais estudada, principalmente nas últimas 3 décadas. Uma série de pesquisadores vem trabalhando com este público de pessoas e, com isso, descrevendo sinais que são mais comumente verificados nos indivíduos com altas habilidades.

Jane Farias Chagas, pesquisadora da área, afirma que além das pesquisas sobre o tema terem pouco histórico e com isso levarem à ausência de consenso, o próprio fenômeno de superdotação assume diferentes conotações conforme a cultura em que o indivíduo está inserido.

“Na cultura mexicana, por exemplo, o conceito de superdotação é expresso por um conjunto de habilidades valorizadas e descritas como habilidade linguística, conhecimento cultural abundante, habilidade de criar com as próprias mãos e habilidade humanísticas – compaixão, auto-sacrifício e empatia. Em contrapartida, o termo em inglês gifted sugere que a habilidade superior é um dom sobrenatural ou uma dádiva divina (Virgolim, 1997; Winner, 1998). No Brasil, são adotados os termos “altas habilidades” e “superdotação”. O termo altas habilidades dá maior ênfase ao desempenho do que características da pessoa, enquanto o termo “superdotado” sugere habilidades extremas". (ALENCAR, 2001; ALENCAR e FLEITH, 2001; VIRGOLIM, 1997 apud CHAGAS, 2007, p.15)

5 Cacterísticas de Superdotados

Mesmo com este contexto, pesquisadores estão buscando caracterizar a superdotação. Ellen Winner é uma das referências da área e caracteriza a pessoa superdotada a partir de 5 características principais: precocidade, rápida aprendizagem, criação de meios pessoais para resolução de problemas, autodidatismo e apresentar uma fúria por dominar.

A precocidade abrange o fato de crianças superdotadas apresentarem domínio de alguma área em uma idade menor se comparada à média da população. Talvez a precocidade seja o fator mais proeminente e notado da superdotação, chamando muito atenção da sociedade.

Diretamente correlacionado com a precocidade, a característica de rápida aprendizagem remete ao fato de indivíduos superdotados apresentarem progresso de aprendizado mais rápido que o normal, dominando conteúdos com grande facilidade quando a área é correlacionada com a alta habilidade pessoal. Com isso, acabam atingindo conquistas que são próprias de adultos em idades menores. Podemos citar como exemplos os casos de adolescentes prodígios que entram na faculdade precocemente ou mesmo o simples fato de uma criança já determinar conscientemente a área profissional que deseja seguir.

Rápida aprendizagem

Crianças superdotadas apresentam grande capacidade de aprendizagem.

Já a criação de meios pessoais para resolução de problemas refere-se ao fato de superdotados frequentemente aprenderem de uma forma qualitativamente diferente, remetendo a uma insistência em fazer as coisas ao seu modo. Por exemplo, uma criança com alta habilidade em inteligência espacial pode desenvolver uma técnica de cálculo de adição e subtração a partir de formas, e não a partir de números. Tal condição demonstra o nível de criatividade que está relacionado com a superdotação, auxiliando na inventividade de soluções de problemas.

A ideia de meios pessoais de aprendizagem associa-se diretamente com o autodidatismo, pois junto à forma diferente de aprender está a capacidade de ensinar a si mesmas. Segundo Winner (1998, p. 13), indivíduos superdotados necessitam apenas de tutoria ou ajuda dos adultos para dominar sua área de seu interesse. O autodidatismo não se manifesta de maneira generalizada, mas sim focado nos assuntos relacionados às áreas de domínio do superdotado.

Por fim, a fúria por dominar refere-se a constatação que crianças superdotadas são intrinsecamente motivadas para se desenvolverem naquilo que demonstram precocidade. Possuem grande capacidade de concentração no que lhe é de interesse. Winner destaca a capacidade de entrarem em estado de fluxo, como vemos no seguinte trecho:

“Elas experimentam estado de “fluxo”, quando estão engajadas em aprendizagem no seu domínio – estados ideais nos quais elas focalizam concetradamente e perdem a noção do mundo externo. A combinação afortunada de interesse obsessivo em um domínio com uma habilidade para aprender facilmente neste domínio conduz a alto desempenho.” (WINNER, 1998, p.13).

Modelo dos Três Anéis

Outra definição de superdotação é a proposta por Renzulli e Reis (1985, 1986, 1997a, 1997b apud CHAGAS, 2007, p. 16) a partir do Modelo dos Três Anéis. Tal modelo propõe que a alta habilidade é o conjunto de 3 fatores. O primeiro é a habilidade acima da média se comparada a outras pessoas e que pode ser verificada de modo objetivo. O segundo fator é a grande capacidade de envolvimento com determinada tarefa, bem como o alto grau de criatividade no desenvolvimento de soluções de problemas. Já o terceiro refere-se ao fato de estarem presentes em algumas pessoas apenas em certos momentos e sob determinadas circunstâncias, ou seja, não é algo generalizado tanto em termos de habilidade, quanto em relação a presença temporal.

Percebe-se, tanto na definição proposta por Winner quanto nos fatores propostos por Renzulli e Reis, que a superdotação não é precisa. A conceituação de superdotação comumente se dá através de um conjunto de características e realizações, complexas e temporais, considerando fatores internos e externos que influenciam no processo de desenvolvimento do talento.

Está gostando desse artigo?
Cadastre seu email no campo abaixo para ser o primeiro a receber atualizações do site.

Uma pessoa superdotada necessariamente terá alto desempenho?

No Brasil diversas vezes é utilizada a expressão “altas habilidades” para referir-se a superdotação. Mas o que vem a ser habilidade? Pode-se dividir habilidade em geral e específica, conforme explicação a seguir.

“As habilidades gerais são normalmente medidas em testes de inteligência e consistem na capacidade de processar informações e integrar experiências de forma a gerar resultados apropriados ou capazes de responder a novas situações ou problemas, estando relacionadas à memória, à fluência verbal, ao raciocínio lógico e numérico, às relações espaciais e ao pensamento abstrato.” (CHAGAS, 2007, p.18)

Neste sentido, os testes de quoeficiente de inteligência (QI), que muitas vezes são utilizados para avaliação e identificação de superdotados, geralmente estão direcionados à metria do nível de inteligência geral do indivíduo, sendo uma capacidade transversal que embasará o desenvolvimento de talentos específicos.

Alto grau de alguma habilidade geral não resultará necessariamente numa excelência no desenvolvimento de um talento. A habilidade geral refere-se a um grande potencial para o desenvolvimento de uma habilidade específica. Chagas (2007) define a habilidade específica do seguinte modo:

“As habilidades específicas dizem respeito ao domínio de conhecimento, às técnicas e estratégias aplicadas a um campo particular do conhecimento, como matemática, pintura, química, escultura e música. Essas habilidades, ao contrário das habilidades gerais, não são facilmente medidas em testes psicométricos.” (CHAGAS, 2007, p.18)

Por exemplo, um indivíduo com alto grau de habilidade geral de raciocínio lógico e numérico, não necessariamente terá a matemática como habilidade específica desenvolvida. Depende do seu interesse, motivação e esforço em dominá-la. Porém, possui capacidade para dominar a matemática de modo mais precoce e inclusive desenvolver conteúdo novo a partir da criatividade para resolução de problemas.

Você já curtiu este artigo?

Sendo assim, não se pode confundir superdotação com alto desempenho acadêmico. Uma pessoa com altas habilidades pode ou não ser aluno exemplar. Capacidade não significa em potencial efetivo. É possível que a própria superdotação seja um fator desencadeante do baixo desempenho escolar. As aulas teóricas e o ritmo lento do ensino pode levar a desmotivação do aluno, pois tudo lhe parece muito entediante, não gerando interesse na aprendizagem, gerando desvio de comportamento.

Dificuldade em sala de aula

Alunos superdotados podem ter dificuldade de desempenho escolar em razão dos métodos de ensino inadequados para eles.

Segundo Renzulli e Reis (1985, 1997 apud CHAGAS, 2007, p.18) podemos falar em superdotação escolar ou acadêmica e superdotação criativa-produtiva ou talentosa. A primeira refere-se ao alto desempenho escolar a partir do uso de boa memória, grande atividade intelectual, processamento de informações complexas e pensamentos analítico, crítico e lógico. Já a segunda associa-se com a originalidade para resolução de problemas, estando diretamente ligada a criatividade do indivíduo.

Ambas as características são sinais de superdotação. Por exemplo, nesta conceituação, Pelé ou Maradona são considerados superdotados independentes do seu desempenho acadêmico. A alta capacidade em encontrar soluções criativas no campo de futebol os coloca entre os casos de indivíduos excepcionais.

Ou seja, é importante deixar de lado o estereótipo que superdotados são excelentes alunos, crianças prodígios ou gênios que se formaram na faculdade aos 15 anos. A população de superdotados é muito mais abrangente segundo os testes que medem este fenômeno.

Gostou? Então compartilhe!

Publicado em 17/09/2014

Autoria: Filipe Colpo

DEIXE SEU COMENTÁRIO

GOSTOU? COMPARTILHE!

TOP 5 DA SEMANA

FIQUE ATUALIZADO

Insira aqui seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do site!

LIVROS INDICADOS

Artigos | Clipping especializado | Livros | Links úteis | Contato